sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Eu tenho medo de escadas rolantes. Considero bom humor tão sexy quanto champagne. Admiro homens que tratam bem o garçom, não furam fila e não jogam lixo no chão. Memória congestionada. Cabeça-dura. Coração mole. Acredito no amor e em gnomos que roubam as canetas da minha bolsa. Torço para que a vida ensine mais do que as mentiras que as pessoas contam. Ainda não cansei de ser eu. Tenho mania de listas. Não digo mais tantos ‘eu-te-amos . Arranco todas as etiquetas que me pinicam. Não sei se caibo nesse mundo. Não quero me acostumar a votar no político menos corrupto, a não dar boa noite para meu filho, a engolir o choro porque já cresci. Meu coração não é auto-suficiente. Minha indecisão me irrita. Trânsito me irrita. E azeitona com caroço me irrita. Só. Odeio QUASEs, prefiro inteiros possíveis. Sofro de saudades agudas que doem mais que gastrite. Às vezes pego o caminho mais longo só porque é mais bonito. Queria que minha mãe fosse eterna e que sentimentos não envelhecessem. Algumas das músicas do meu celular me acompanham há muito tempo. Optei por ser mãe solteira. Parei de roer as unhas. Amo meu trabalho. Decidi entrar na faculdade e não mais terminar meu curso anterior. Adoro reencontros, novos sabores e o olhinho do Theo fechado enquanto rir. Não dependo de ninguém financeiramente, mas dependo emocionalmente do meu filho. Meu quarto é azul com branco. Penso duas vezes antes de comprar algo pra mim, não penso nem meio segundo antes de comprar algo pro Theo. Sei todas as músicas do Patati e Patatá. Sou viciada em internet pelo celular e sapatilhas. Essa sou eu, Deni aos 23. Feliz idade pra mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário